Nome cientifico: Casearia sylvestris Sw
Nome popular: Guaçatonga, Erva-de-lagarto, Vassitonga, Bugre-branco, Erva-de-bugre, Língua-de-tuí.
Família: Samydaceae

Habitat
Não tem exigência quanto ao solo e ao clima.
No Brasil vegeta em abundancia, sendo uma espécie muito comum no estado de São Paulo.

Característica da planta (aspecto agronômico)
Árvore com até 4 m de altura, sendo que no interior das matas pode atingir tamanhos maiores, suas folhas são simples, alternas e pecioladas, possuindo forma de ponta de lança, com as bordas serrilhadas. Vistas contra a luz, mostram minúsculos pontos translúcidos, que correspondem às glândulas de óleo essencial. As flores são pequenas e esverdeadas, e exalam forte aroma.
Fruto é uma cápsula que contém sementes envoltas por uma massa avermelhada.

Historia (origem)
Planta originaria da América tropical, a guaçatonga ocorre desde o México até a Argentina.
Diz-se que o lagarto só enfrenta uma cobra se houver um pé de guaçatonga por perto, tamanho é o poder cicatrizante da planta.

Composição química
Óleo essencial, saponinas, ácidos graxos, taninos e antocianosídeo.

Propriedades terapêuticas
Exerce uma significativa ação antiúlcera, reduzindo o volume de ácido clorídrico produzido.
A guaçatonga previne a irritação da mucosa gástrica, induzida pelo estresse.
Por conter taninos, forma revestimentos protetores na pele e nas mucosas, dificultando infecções.
A marcante porcentagem de óleo essencial justifica seu emprego como cicatrizante, anti-séptico, antimicrobiano e fungicida.
Pesquisas constataram que o processo de cicatrização interna ou externa evolui bem quando tratado com guaçatonga.

Indicações
Halitose (mau hálito), gastrite, ulceras internas, escaras, feridas, ulceras varicosas, picadas de insetos, herpes labial, herpes genital, gengivite, estomatite, aftas e feridas na boca.

Modo de usar
Para mau hálito, gastrite, ulcera internas, gengivite, estomatite, aftas, feridas na boca, herpes labial.
• Tomar três xícaras de chá ao dia durante 10 dias (adulto).
• Tintura 15 gotas diluída em um pouco de água três vezes ao dia durante 10 dias (adulto).

Para escaras, ulceras varicosas, picadas de insetos e herpes genital.
Fazer um infuso, coar, esfriar e aplicar nas partes afetadas com um chumaço de algodão, três vezes ao dia. No caso de herpes genital, faça um banho de assento.
Obs. O seu uso, no caso de halitose (mau hálito) de fungo estomacal, exerce ação imediata, eliminando os fungos invasores e as bactérias helicobacter pyloral.

Erva de corte
Pode-se colher os ramos com as folhas frescas de guaçatonga usando o buquê da erva em potes com água no cozinha.
Usar as folhas na composição dos chás sempre que houver necessidade de uma erva cicatrizante.

Meridiano onde a guaçatonga atua
Baço, Pâncreas e Estômago

Partes governadas
Baço, pâncreas, estômago, sistema imunológico, boca, céu da boca, bochechas, lábios e carne.
Quando em desequilíbrio pode ocasionar gastrite, ulcera internas, mau hálito, problemas de estomago, herpes labial, gengivite, aftas, feridas na boca ou simplesmente um excesso de acidez no estômago.

No emocional
Em desequilíbrio pode ocasionar excesso de preocupação, idéia fixa e pensamentos obsessivos.
Para estes tipos de problemas tanto no físico como no emocional devemos usar a guaçatonga nas dosagens prescritas acima. Não ultrapassar a dose diária (três vezes ao dia) nem a periodicidade de 10 dias, pois podem ocasionar efeito contrario. Tomar o chá ou a tintura.
Quando em equilíbrio este meridiano trás para o individuo bons pensamentos, boa imaginação, calma e liderança.

Contra indicação
Não há referencias na literatura consultada.

Partes da planta empregada
Folhas

Cultivo
Reproduz-se por sementes na estufas de sementeira.
O solo deve ser rico em nutrientes.
Terra de boa qualidade, húmus e esterco em partes iguais.
Deve-se tomar as devidas precauções no momento de se instalar a muda de guaçatonga no jardim de ervas, por se tratar de uma árvore a preocupação da sombra da copa é um item a ser observado no planejamento do jardim. O ideal é coloca-la longe do jardim de ervas.
Para o plantio de uma arvore, deve-se fazer uma cova de 30cm x 30cm de largura por 40 cm de profundidade.

Atencão: Nunca use nenhuma erva sem consultar seu médico ou fitoterapeuta.