Nome cientifico: Traxacum officinale
Nomes populares: Dente-de-leão, alface-de-cão, salada-de-touceira, taraxaco.
Família: Compostas

Habitat
É considerada uma planta invasora de hortas e jardins, crescendo em campos, vales úmidos e sombrios. É uma planta rústica de fácil propagação. Adapta-se bem em vários tipos de solo e clima.

Características da planta (aspecto agronômico)
O formato da folha é muito variável.
Em alguns tipos é profundamente cortada, em outros, mais ondulada do que dentada.
A raiz mestra é grossa, com a parte externa marrom e a interior branca leitosa.
Um caule avermelhado, oco e liso ergue-se do meio de uma roseta de folhas junto ao solo e sustenta as flores amarelas.
Quando elas se soltam o caule exsuda um sumo leitoso.
Os estudiosos do dente-de-leão informam que pelo menos oitenta e cinco diferentes espécies de insetos se banqueteiam com seu pólen.

 

Historia (origem)
As autoridades no assunto discutem até hoje se o dente-de-leão é uma planta nativa da América ou aclimatada.
Certamente, é encontrada e consumida em quase todo o mundo.
Provavelmente originário da Europa, principalmente Portugal.

 

Composição química
Látex; óleo resina; alcalóides, taraxina – princípio fortemente amargo; taraxicina; taninos, sais minerais potássio, carotenóides; fitosterol e colina.

 

Propriedades terapêuticas
Indicado para distúrbios da função digestiva (estomacal, hepática, biliar, intestinal e prisão de ventre).
Afecções da pele do rosto (eczemas, escamações e vermelhidão dos olhos).
Tanto as folhas secas como as raízes secas e moídas são usadas como chá. Faça uma infusão com as folhas e, com a raiz, uma decocção.
O chá é indicado para hepatite e qualquer problema do fígado.
As folhas frescas ou a raiz seca do dente-de-leão são um bom alimento na dieta dos diabéticos. Serve para reduzir a contagem de açúcar.
As tenras folhas do dente-de-leão são excelentes para saladas.
Por conter taxacina, um estimulante hepático, justificou-se o uso do dente-de-leão nas doenças crônicas do fígado.
O dente-de-leão da evita que o corpo acumule colesterol, graças à presença do fotosterol.

Modo de usar

Uso interno
• Infusão - folhas - 3 xícaras de chá ao dia, durante 10 dias ( adulto)
• Decocção – raiz - 3 xícaras de chá antes das principais refeições.
• Tintura – 15 gotas diluídas em água, 3 vezes ao dia durante 10 dias.
• Culinária – consumir as folhas em saladas.

 

Ervas de corte
Modo de conservar
A planta toda é recolhida, com um corte rente ao solo. Deve ser armazenada no refrigerador.
A melhor forma de conservar a planta para usa-la em uma outra estação do ano é seca-la ou produzir a tintura.

 

Meridiano onde o dente-de-leão atua (Medicina Chinesa).
Fígado e vesícula biliar.

A principal função do fígado consiste em assegura a circulação livre do fluxo de energia (qi) de todo o sistema energético do corpo.
Além disso, apresenta uma influencia primordial sobre o estado emocional.
Se a parte energética do fígado estiver contida por um longo período, nossa vida emocional será caracterizada geralmente pela depressão, frustração, irritabilidade e tensão emocional.
Como sempre, na Medicinal Chinesa, o relacionamento entre uma determinada emoção é um sistema é mutuo: a função do fígado de assegurar o fluxo suave do sistema energético apresenta uma influência profunda sobre o estado das emoções e, ao contrário, o nosso estado emocional influenciará a função fisiológica do fígado.

Desta forma se o fígado estiver funcionando bem e a sua energia fluir livremente, o estado emocional será feliz e livre e a pessoa estará de bom humor e expressará suas emoções livremente.
Se, porém, a energia do fígado estagnar e não fluir livremente afetara o estado emocional causando fúria e irritabilidade. Em um nível físico, estas emoções reprimidas poderiam ser levadas no tórax, epigástrico ou garganta. A pessoa experimentara sensação de cansaço no tórax e talvez boceje com freqüência, cansaço físico, debilidade ou contração nos tendões, rigidez no pescoço, náusea, vômito, anorexia, regurgitação ácida, sensação de queimação no estômago (a madeira domina a terra – estomago) distensão abdominal e diarréia.

O fígado poderá ainda se rebelar em ascendência tornando a pesso9a muito furiosa.
A estagnação da energia do fígado, por um longo período pode conduzir ao fogo, uma vez que a implosão da energia, causada pela repressão emocional, gera calor.

Em alguns casos, o vento exterior pode agravar uma rigidez no pescoço, e pode também agitar o sangue estocado no fígado e manifestar-se com erupções na pele que começam repentinamente e espalham-se rapidamente, tais como urticária.

O uso do dente-de-leão através da tintura dos chás ou mesmo suas folhas na alimentação depura o sangue tornando-o mais fino, mais limpo, permitindo ao fígado um bom desempenho de suas funções e circulação do fluxo de energia do sistema.

O fluxo volta a ser suave, as emoções se equilibram, os músculos e tendões se harmonizam, tornando a pessoa mais saudável e feliz.

Parte da planta emprega
Folhas, raízes e flor (sumidade florida)

Cultivo
Reproduz-se por meio de touceira e sementes.
Prefere local úmido com pouca incidência solar.
Solo arejado e rico em húmus.
No canteiro usamos terra de boa qualidade, areia grossa, esterco e húmus em partes iguais.
Multiplica-se facilmente por todo herbário, as sementes se espalham rapidamente formando novos brotos.
Para dada m² colocar 8 mudas.

Atencão: Nunca use nenhuma erva sem consultar seu médico ou fitoterapeuta.