Nome cientifico: Plectranthus barbatus Andr.
Sinônimo cientifico: Coleus barbatus Benth.
Nomes populares: Boldo brasileiro, Sete-dores, Malva-santa, Malva amarga, Falso boldo.
Família: Lamiacea (labiatae)


Habitat
O clima deve ser temperado e quente.
O boldo brasileiro é amplamente distribuído pelo Brasil.

 

Característica da planta (aspecto agronômico)
Planta perene, cultivada em hortas e jardins. Quando jovem é uma planta herbácea tornando-se lenhosa depois de adulta.
Têm folhas elíticas, flexíveis, aveludadas, amortecidas e muito amargas.
Não floresce quando cultivada no nordeste, a não ser nas serras úmidas.
O boldo brasileiro pode ser reconhecido pelo seu sabor amargo, e por possuir folhas macias, dobráveis sem quebrar.
O boldo “verdadeiro” (Peumus boldus Molina) é uma planta do Chile cujas folhas são encontradas no comércio de ervas secas.
Às vezes, por causa do nome, confundidas com o boldo brasileiro (Plectranthus barbatus Andr.), ou com Boldo baiano ou Alumã (Vernonia condensata Baher, compositae) que também tem folhas amargas, recebendo a mesma denominação de boldo, mas são plantas de propriedades diferentes.

Historia (origem)
África.

 

Composição química
Segundo um dos autores que consultamos o boldo brasileiro, possui princípios ativos e propriedades terapêuticas muito parecida com o boldo-do-chile (Peumus boldus).
Óleo volátil, eucaliptol, cineol, taninos, gomas, terpenos pineno, alcalóides entre eles a boldina, glicosídeos flavônicos.

 

Propriedades terapêuticas
O boldo é uma erva amarga aromática com propriedades estimulantes e tônicas. Ativa a secreção salivar e do suco gástrico, utilizando em casos de hiperacidez.
A boldina produz um aumento gradual no fluxo da bile.
Sua ação colerética (que ativa a produção e a secreção da bílis) e colagoga (medicamento que escita a secreção da bílis) é atribuída a boldina.
Indicado para gastrite, dispepsia (distúrbio da função digestiva), azia, mal-estar gástrico (estômago embrulhado), ressaca, debilidade orgânica, estimulante digestivo.

Modo de usar
Para tonificar e limpar o fígado basta tomar um macerado da folhas de boldo durante 10 dias.

 

Preparo:
Rasgar uma folha fresca de boldo. Introduzi-la em um copo com água na temperatura ambiente antes de dormir. Manter o copo coberto. Pela manhã coar o preparado e tomar. Fazer novamente um novo preparado para se tomado à noite. Tomar duas vezes ao dia (de manhã e a noite) durante 10 dias.

Obs. O termo macerado esta sendo empregado no sentido de estarmos retirando os princípios ativos de uma erva através de um veiculo aquoso, a água na temperatura ambiente. Não confundir maceração com machucar a planta.

No caso de uma ressaca (excesso de trabalho do fígado), usar o boldo de uma forma mais veemente.
Em um litro de água introduzir o sumo do boldo que foi pilado (machucado) em um recipiente à parte.
Em um almofariz ou pilão esmagar quatro folhas frescas de boldo até atingir uma consistência pastosa. Despejar o sumo no recipiente com água, filtrando-o através de uma peneira. Deixar o preparado descansar pó ½ hora e tomar o macerado durante o dia, tomar um copo a cada 3 horas. Sentido melhora diminuir a dose.

 

O fígado pode sentir-se agredido quando:
• Excesso de bebidas alcoólicas
• Excesso de comidas gordurosas
• Excesso de fritura
• Irritação profunda

 

Pode-se usar:
Tintura -15 gotas diluídas em um pouco de água três vezes ao dia durante 10 dias.
Chá das folhas em infusão três vezes ao dia durante 10 dias.
Este tratamento seria para limpar o fígado e tonifica-lo para melhor desempenho de suas funções.
No caso que citamos acima – desconforto grande devido aos excessos tomar 40 – 60 gotas (da tintura) diluída em água 3 vezes ao dia por no máximo 2 dias ou o chá em infusão.

 

Ervas de corte
Colher os galhos ou ramos com folhas frescas e mante-las em potes de água na cozinha para melhor manipula-la por 10 dias. Trocar a água quando se fizer necessário.

 

Meridiano onde o boldo atua
Fígado e Vesícula Biliar

 

Partes governadas
Fígado, vesícula biliar, músculos, tendões, ligamentos, olhos, coluna, aparelho reprodutor feminino e masculino.
Quando em desequilíbrio pode ocasionar, falta de coordenação motora, quedas, rompimento de tendões e ligamentos, acidentes, reflexos abalados, falta de resposta, esbarrões, memória afetada, preguiça, vista cansada, vista turva, coceira na vista, falta de visão interior, dificuldade em perceber a realidade, pensamentos confuso, falta de concentração e dificuldade em planejar a agenda. A musculatura torna-se rígida e os olhos congestionados (vermelho).
As secreções também se alteram – saliva, suor e lagrimas.

 

Emocional
Em desequilíbrio pode altera os humores.
Causa impaciência, intolerância e raiva, ou, falta de reação, apatia.
Para estes tipos de problemas tanto no físico como no emocional devemos usar o boldo nas seguintes dosagens.
Tintura – 15 gostas diluídas em um pouco de água três vezes ao dia durante 10 dias, não ultrapassar a dose diária nem os 10 dias, ou o chá em infusão.
Ou usar o macerado que ensinamos acima.
Quando em equilíbrio este meridiano cria disposição para pensamentos claros, arrojados e também grande poder de decisão e ação.

 

Contra indicado
Oclusão das vias biliares e hepatopatia grave.
Não apresenta efeitos colaterais dede que mantida a dosagem e periodicidade indicada.

 

Interações
Poderá ser associada à Carqueja (Bacharis Trimera Lens).

 

Parte da planta empregada
Folhas

 

Cultivo
A propagação é feita por estacas da planta (método de estaquia).
Para cada m² plantar 1 muda de boldo brasileiro.
Prefere solos férteis, terra de boa qualidade, húmus, esterco e areia grossa em partes iguais.
A poda das folhas e dos galhos pode ser feita após o quarto mês de plantio

Obs. Há algumas espécies semelhantes e que são consideradas ornamentais.

Atencão: Nunca use nenhuma erva sem consultar seu médico ou fitoterapeuta.