Nome Cientifico: Arctium lappa L.
Nomes populares: Bardana, Orelha de gigante, Gobô, erva dos tinhosos, pergamassa.
Família: Asteraceae (Compositae)

Habitat
Nasce naturalmente ao redor das habitações. Esta bem aclimatada no Brasil. Não tem preferência quanto ao clima.

Característica da planta (aspecto agronômico)
Herbácea bienal que atinge de 50cm a 2m de altura, com raízes grossas e caule forte. As folhas são basilares no 1º ano e no 2º ano aparece um caule floral bastante ramificado, de até 1,5m de altura, mole esbranquiçado. Flores pequenas, violáceas, em capítulos florais, que formam o fruto sem papilho, no formato de uma bola com falsos espinhos que aderem à roupa e ao pelo dos animais, sendo uma planta invasora.

Historia (origem)
Origem Européia, sendo muito comum em Portugal, França, Itália e Japão.
Naturalmente na América do Sul, nasce espontaneamente até a Argentina e está bem aclimatada no Brasil.

Composição química
Óleo essencial (arctiol) com 45% de imulina, taninos, mucilagens, resina, polifenóis, ácidos graxos, sais minerais, carbonato e nitrato de potássio, composto antibiótico (semelhante à penicilina), um glicosídeo denominado lapina, fetosteróis ( B- sistosterol e estiqmasterol), ácidos orgânicos.

Propriedades terapêuticas
A principal indicação terapêutica da bardana é em doenças crônicas da pele. Sua ação sobre as afecções da pele pode ser explicado pela presença de um princípio antibiótico eficiente sobre bactérias como estafilococos e estreptococos, sendo muito ativo em afecções do tipo furunculose e acne; permitindo a cicatrização de muitas feridas e ulcerações.
Tem ação fungicida, (que destrói fungos), sendo eficiente para tratamentos de enfermidades no trato genital.
Possui também propriedades diuréticas e sudoríficas auxiliando em processos reumáticos e gostosos, além de auxiliar a eliminação de ácido úrico.
Apresenta também uma marcante ação depuradora do sangue.
Aumenta a secreção biliar e hepática através de sua ação coleréteca (que ativa a produção e a secreção da bílis).

Modo de usar
Para problemas na pele, problemas nas vias urinárias, reumatismo, gota, excesso de acido úrico, para depurar o sangue, eliminação de impurezas, para eliminar os metais pesados do sangue da quimioterapia.
Tomara três xícaras de chá ao dia durante 10 dias da decocção da raiz ou infusão da folhas.
Obs. No caso da quimioterapia começar a tomar as dosagens três dias antes da sessão.

Modo de fazer
Decocção da raiz:
Ferver em 1 litro de água, 30cm de raiz cortada em pedaços. Deixar ferver por 20 minutos. Abafar por 10 minutos. Coar, e beber. A 1ª xícara será servida quente, as restantes na temperatura ambiente. Procure não armazenar o restante em vasilha de alumínio.
Infusão das folhas – dosagem normal.
Tintura – 15 gotas diluída em um pouco de água três vezes ao dia durante 10 dias (adulto).
A tintura pode ser feita com as folhas.
As folhas e as sementes têm propriedades idênticas às das raízes.
A raiz cozida ou refogada é comestível, sendo altamente nutritiva e estimulante do sistema nervoso. Os brotos e as folhas novas também são.

Fitocosmético
Externamente para caspa, seborréia, queda de cabelo, ulcerações e picadas de insetos.
Pode-se fazer um cataplasma com as folhas nas ulcerações e picadas de insetos.
Para tratamentos de pele e cabelo – compressa nos locais afetados, a tintura também é indicada nesses casos.

Erva de corte.
As folhas são muito grandes e as raízes inadequadas para serem colocadas em vasos com água na cozinha.

Meridiano onde a Bardana atua.
Coração e Intestino Delgado
Partes governadas: coração, intestino delgado, sistema circulatório, veias, vasos e língua.
Quando em desequilíbrio pode ocasionar problemas cardíacos, úlcera gástrica, problemas de gases e aftas na língua.
Obs. No verão estes problemas tendem a se agravar (calor).

No emocional
Em desequilíbrio pode ocasionar, insônia, histeria, verborragia, falta de seletividade.
Excesso de pensamentos e tristeza.
Para estes tipos de problemas tanto no físico como no emocional devemos usar a bardana nas dosagens prescritas acima.
Não ultrapassar a dose diária (três vezes ao dia) nem a periodicidade de 10 dias, pois podem ocasionar efeito contrário.
Pode-se usar o chá, a decocção ou a tintura.
Quando em equilíbrio este meridiano traz auto-estima, entusiasmo, carisma e um estado de alegria.

Contra indicação
Não é indicado o uso interno para crianças.
Recomenda-se obedecer a dosagem indicada.
Na fitocosmética é indicado na produção de produtos: xampus, tônicos capilares, cremes e loções para peles impuras e oleosas: 1- 3% de extrato glicólico.

Partes da planta empregada
Folhas frescas, raiz e semente.

Cultivo
O plantio é feito por sementes, nas estufas de sementeira.
Para facilitar a retirada da raiz, costuma-se cultivar em barrancos ou em caixotes retangulares de mais ou menos 50 cm de altura.
A raiz deve ser coletada no 2 º ano de cultivo e a folha antes da floração.
De preferência devem se consumidas quando frescas, pois reúnem os seus melhores valores terapêuticos.
As folhas podem ser secas à temperatura ambiente.
Rasgue as folhas para a secagem.
As raízes também devem ser picadas antes da secagem.
Para cada m² pode-se colocar 1 ou 2 mudas.
O solo deve ser rico em nutrientes, terra de boa qualidade, areia grossa, húmus e esterco em partes iguais.
Prefere solos arenosos e férteis.
Não tem preferência quanto ao clima.
Regar uma vez ao dia.

Atencão: Nunca use nenhuma erva sem consultar seu médico ou fitoterapeuta.