Nome cientifico: Alóe Vera L., Alóe Barbadensis, Alóe Arborescens Mill
Nome popular: Babosa,Alóe.
Família: Liliaceae

Habitat
A babosa prefere locais ensolarados, não se adapta a solos muito úmidos e é sensível a geadas.

Características da planta (aspecto agronômico)
Herbácea que atinge até 60 cm de altura, de folhas carnosas, alongadas, com espinhos e com final de pontas agudas.
Existem espécies que apresentam flores vermelhas em cachos ou flores amarelas.

Historia (origem)
Seu nome provém do hebraico halal ou do arábico alloeh, que significa substancia amarga, brilhante; vera vem do latim, significando verdadeira.
Um dos ingredientes secretos de beleza de Cleópatra, era a babosa, ainda hoje continua entre os eleitos das empresas de cosméticos para os cremes faciais, para as mãos, loções bronzeadoras e xampus. É a seiva da babosa que protege a pele e cicatriza queimaduras.
É originaria da África, mas sta aclimatada no Brasil.

Composição química
Derivados antracênicos em partes liberados (1% antroquinonas livres) e em partes combinados na forma glicosídica (10 – 30% de antroquinonas), tendo como elemento principal a aloína (barbaloína ou aloemodineantrona glicosídeo), presente entre 5 – 25 %, além de emodina e aloinose.
Possui uma apreciável quantidade de ácido crisofânico (0,05 – 0,5%).
Enzimas: celulase, carboxipeptidase, catalase, amilasa, oxidase.
Aminoácidos – amino – ácidos.
Vitaminas: B, C e E
Sais minerais: Ca, K, Na, Cl, Mn, Al.
Além de grande quantidade de ingredientes inativos, incluindo resinas e óleos voláteis (16 – 63%).
Mucilagens e taninos.

Propriedades terapêuticas
Problemas digestivos (estomacais, hepáticos, vesiculares, intestinais e prisão de ventre): coloque 1 fatia pequena da folha fresca em 1 copo de suco batido no liquidificador.
Tomar de manhã, durante 15 dias.
Queda de cabelo; caspa, brilho nos cabelos.
Lave as folhas frescas, tire a casca, ficando somente a polpa gosmenta (mucilagem).
Coloque uma porção da polpa em um copo de água fervente. Abafe por 15 minutos e coe em um peneira. Lave a cabeça e, em seguida, aplique essa gosma no couro cabeludo, massageando ligeiramente.
Deixe agir por mais ou menos 1 hora e enxágüe a cabeça com água quente ou morna.
Inflamações; queimaduras, erisipelas, eczemas e psoriase: retire o espinho e a casca de 1 fatia da folha e coloque a polpa branca em um pilão. Amasse bem, até adquirir uma consistência pastosa. Aplique 3 vezes ao dia sobre o local afetado e cubra com papel manteiga. Deixe agir durante 1 hora, e em seguida, lave com água fria.
Hemorróidas (fissura anal) coloque 1 colher (sopa) de polpa branca da folha fresca em ½ litro de água em fervura. Desligue o fogo e coe. Ainda morno faça banho de assento com massagens suaves, á noite. Deve ser repetido varias vezes, até desaparecerem as hemorróidas.
Podemos usar a folha em corte para todos os problemas da pele. Sobre a pele a Alóe age formando uma camada protetora, refrescante, como amplo uso cosmético e medicamentoso.
Para problemas renais, pé de atleta, aumenta o fluxo menstrual quando usado em pequenas doses, cicatrizante de pequenos ferimentos.

Modo de usar

Uso interno.
Consumir uma fatia pequena da folhas fresca em sucos e vitaminas, uma vez ao dia, durante 15 dias.
Uso tópico.
Usar a mucilagem (a polpa) direto no local afetado.
Obs as formas de uso estão acompanhado as propriedades terapêuticas no item anterior. (Receitas)

Fitocosmético
Desodorante, removedor de maquilagem, fortalecedor do couro cabeludo e no tratamento da seborréia.
Aplicado em loções após barba, produtos para peles flácidas, condicionadores capilares, como preventivo de rugas, produtos para peles secas e cabelos secos ou com caspa.
Xampus para cabelos secos e anticaspa, sabonetes, cremes e loções faciais, mascaras de beleza, bronzeadores, produtos após o sol para o corpo, lábios e mãos, produtos infantis, para peles sensíveis e delicadas: até 30% de gel fresco.
Na forma de pó é usado em talcos, sais de banho, sabonetes e detergentes.

Ervas de corte
Manter sempre uma folha fresca cortada no refrigerador caso precise usar com urgência, cortes, queimaduras e outros acidentes nos lares.

Meridiano onde a babosa atua
Rim e Bexiga

Partes governadas
Rim, bexiga, cabelo, ossos, dentes, medula (cérebro), ouvido e fala.
Quando em desequilíbrio pode ocasionar problemas de queda de cabelo, branqueamento rápido dos cabelos, dor de dente, problemas de articulação, artrite, artrose, hérnia de disco, problemas relacionados ao sistema nervoso, labirintite, pedras no rim, retenção de água, e problemas com a fala, (perda da voz).
Obs. No inverno estes problemas tendem a se agravar (frio).

No emocional
Em desequilíbrio pode ocasionar medo e insegurança.
Para estes tipos de problemas tanto no físico como no emocional devemos usar a babosa nas dosagens e prescrições feitas acima.
Quando em equilíbrio este meridiano cria, vitalidade, força de vontade e otimismo.

Contra indicação (precauções)
É contra indicado seu uso interno durante a gravidez, aleitamento, menstruação, cistites e desinterias.
Não deve ser administrado internamente em crianças.
Evitar o uso de altas doses.
Procurar seguir a posologia recomendada.

Partes da planta empregada.
Polpa branca (folha)

Cultivo
A reprodução é feita por mudas (filhotes) que crescem na base da planta mãe.
Devem ser retirados e colocados em um viveiro para melhor aproveitamento posterior.
As mudas costumam ficar um período de 2 meses para melhor definição.
No canteiro de 1 m² pode-se colocar 1 muda.
Prefere solos férteis, terra de boa qualidade, húmus, esterco e areia grossa em partes iguais.
Colheita: cortar as folhas bem desenvolvidas, próximas ao caule, a partir do primeiro ano.

Atencão: Nunca use nenhuma erva sem consultar seu médico ou fitoterapeuta.